Diário de viagem: Verona, Itália – 9º dia

Nosso primeiro dia de Verona começou cedo com um café da manhã gostoso tomado em casa. Teve pão na chapa com cream cheese, suco de laranja e morangos. Aliás, o morango da Europa é algo que vocês não podem deixar de provar.

Fomos caminhando tranquilamente até o centro histórico de Verona e curtindo a cidade. Cheia de ruelas e bequinhos super charmosos. Chegamos à ponte Navi e mesmo não sendo uma das pontes famosas de Verona, a achamos linda, o rio Adige, que corta a cidade, é belíssimo, sua água é transparente e permite ver o fundo cheio de pedras. Juntando o sol e o céu azul, o cenário ficou completo e belíssimo.

Café da manhã - Verona

Na sequência, fomos caminhando até a casa de Julieta. Também muito charmosa e CHEIA de cartas, bilhetes e rabiscos nas paredes, deixados pelos apaixonados que visitam o local, lá também está a famosa estátua de Julieta. Dizem que para conseguir um amor, você deve tocar o seio dela.
Ali mesmo já compramos o Verona Card (lá embaixo explico o que é e como funciona) para visitar a casa de Julieta. Confesso que a casa não tem muita coisa, apenas algumas pinturas e objetos relacionados à estória e, claro, te dá acesso à famosa sacada da Julieta.

Julieta - Verona

Saindo de lá, logo à frente fica a Torre Lamberti e a Piazza delle Erbe, a torre e o museu deixamos para entrar outro dia, e aproveitamos hoje para curtir a praça e passear ao ar livre.
Aliás, amei essa praça! No seu entorno tem vários restaurantes bem convidativos e barraquinhas com souvenirs, bijus, chapéus, doces…
Ficamos um tempão passeando por lá.

Depois fomos em direção à arena de Verona. Que funciona como uma espécie de estádio até hoje é utilizado para apresentações durante o verão. O prédio lembra bastante o coliseu, mas em uma proporção menor e mais bem conservado. Vale super a pena visitar e subir até o último nível para ter a visão dele todo e um pouco da cidade, só precisa de cuidado ao subir e descer, pois os degraus são altos, rasos e alguns estão quebrados.

Arena de Verona
Arena de Verona
Arena de Verona
Arena de Verona por dentro

Saindo de lá, rodamos um pouco pela Piazza Bra, também muito charmos e fomos para o Castel Vecchio, que além de castelo, tem um museu com peças de arte. Confesso que o museu não me agradou muito, mas o castelo é incrível! Bem aquela coisa medieval que vemos em filmes. Adorei!

Em seguida fomos à ponte Scaligero, que também é conectada ao castelo e segue seu estilo arquitetônico.
Cruzamos a ponte e fomos ladeando o rio até chegar ao Duomo da cidade, mas antes com uma parada para um gelatto de amarena e flocos. O Duomo estava sendo restaurado por fora, mas sem obras por dentro. A igreja é linda, cheia de adornos e pinturas nas paredes e teto. Além de dois orgãos enormes em cada lado do altar, acho que nunca tinha visto algo daquele tipo daquele tamanho.

Aproveitando que estávamos ali perto, seguimos para a ponte Pietra e teatro romano. O segundo em reformas.

Ponte pietra - Verona
Ponte Pietra

Depois voltamos até a Piazza delle Erbe que estava ensolarada e aconchegante, o cenário foi irresistível e finalmente paramos para almoçar. Eu pedi um tagliagelle com atum, azeitonas pretas e tomate cereja e o And foi de lasanha vegetariana. Muito carbo nessa vida é ainda me dei direito a um tiramissu de sobremesa.

Almoço - Verona

Sobremesa - Verona

Reabastecidos, fomos em direção à tumba de Julieta, que fica a mais ou menos 1,5km da Piazza delle Erbe. Chegando lá, o lugar pareceu charmoso, apesar de mal cuidado. Lá dentro existe também um museu com algumas peças de arte sacra, passamos rapidamente pelo museu, que não estava muito interessante e fomos ver a tumba, que nada mais é do que uma espécie de porão com uma tumba de pedra. Me decepcionei. Meia hora de caminhada para quase nada.

Tumba de Julieta - Verona
Entrada da Tumba de Julieta

Como o dia já estava acabando e tínhamos andando muito, voltamos para nosso flat para descansar e seguir até Veneza no dia seguinte.
O jantar foi em casa mesmo, com sanduichinho de salame e queijo emental que compramos em um mercadinho perto de lá. Aliás, uma coisa que sempre adoro fazer em viagens internacionais, é ir em supermercados. As coisas são MUIIIIITO baratas e sempre tem aqueles chocolates maravilhosos e vinhos da região, da vontade de fazer uma mala com vinho e chocolate. Parece bobagem, mas visitem um mercado quando estiverem viajando, é uma delícia.

Até amanhã com nossa visita a Veneza!

Neste link tem mais sobre a viagem!

Informações úteis:

Sobre o Verona Card: É um cartão que serve para entrada em todas as atrações turísticas de Verona e para uso no transporte público. Nós compramos a versão para 24 horas por EUR 15 e valeu super a pena. Todas as atrações que falei no post aceitaram o Verona Card e só as duas primeiras já superariam o valor dele se pagas a parte.
Como a cidade é pequena, achei suficiente o cartão de 24h e não precisei do transporte público (fizemos tudo a pé), mas se quiser mais tempo ou precisar usar o transporte público por mais dias, há uma versão de 72h por EUR 20.

Sobre a hospedagem: Como sempre costumamos fazer, aqui não ficamos em hotel, mas em um flat super legal e equipado com uma cozinha simples e lavanderia. Chama-de Residence Viale Venezia (dá uma olhada aqui). Fica há cerca de 20 minutos de caminhada do centro turístico, um pouco longe, mas ainda assim valeu a pena para nós.
Como queríamos algo perto da estação de trem para facilitar a ida a Veneza, Milao e Sirmione, este flat foi perfeito, pois ficava a 400 metros da estação Porta Vescoso.

Se não curtiu o hotel que ficamos em Verona, você pode buscar outro usando a caixa de pesquisa do Booking aqui em baixo (fizemos todas as reservas de hotéis desta viagem por lá):



Booking.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *